terça-feira, 21 de junho de 2011

POLICIAL MILITAR DO DF SEM NOÇÃO.

                                                                                 Por RM

            Em uma bela noite de sexta-feira, estávamos, meu marido e eu no restaurante Peixe na Rede (muito bom, por sinal) em Brasília/DF. Como de costume paramos nosso carro na vaga destinada a portadores de necessidades especiais.
            Na hora de ir embora, notamos que não havia como meu marido entrar no carro, pois outro motorista havia parado seu veículo na área ao lado da vaga especial (que logicamente é para o cadeirante colocar sua cadeira para descer do carro), ou seja em área indevida. Para nossa sorte (ou azar!), na hora estava passando uma viatura da Polícia Militar e rapidamente solicitei que o Policial averiguasse a situação.
            Ciente do ocorrido e vendo que não havia como meu marido entrar no carro pelo lado do motorista que estava impedido, o policial perguntou se ele não poderia entrar pelo lado do carona e pular para o banco do motorista. ????? Meu marido olhou para suas pernas e imediatamente olhou para dentro do olho do policial e respondeu: “- Não, Senhor policial, infelizmente eu não posso.”.
            Diante deste absurdo, eu precisei retirar o carro da vaga para que meu marido pudesse entrar. Inocentemente solicitamos ao policial que entrasse em contato com o DETRAN-DF para que fosse encaminhada uma viatura a fim de tomar as medidas cabíveis – MULTA, mas percebemos que o policial não estava interessado no assunto, pois ficou enrolando, enrolando e providência que é bom, nada.
            Ressalto que havia um POLICIAL MILITAR no local testemunhando o fato e que NÃO tomou providencia alguma sobre o ocorrido.
            Mas esperar o que dele, se pelos flagras postados aqui, até a própria viatura da Polícia Militar estaciona na vaga destinada a Portadores de Necessidades Especiais?
            Até quando isso vai continuar assim???

3 comentários:

Julia disse...

infelizmente isso acontece com mais frequencia do que gostariamos.Tenho uma sobrinha cadeirante, e já passei por esta situação inúmeras vezes. Inclusive fui parada em uma blitz da P.R.Federal, e mandaram que minha sobrinha saísse do carro para revista, quando eu falei que precisava da cadeira... ele ainda perguntou se não poderia tirá-la sem a cadeira....?????? absurdos...

Adriana Carvalho da Silva Rangel disse...

PRECISAMOS DE PROFISSIONAIS NÃO SÓ CAPACITADOS, MAS QUE TENHA SENSIBILIDADE! INFELIZMENTE CONVIVEMOS EM UMA SOCIEDADE, ONDE AS PESSOAS SÃO INDIVIDUALISTAS! SÓ QUE HOJE SOMOS,AMANHÃ NÃO SABEREMOS QUAL SERÁ NOSSA CONDIÇÃO! ESTAMOS NESTA LUTA! ACREDITO QUE ATRAVÉS DE MUITA INFORMAÇÃO, CONSEGUIREMOS TER UMA SOCIEDADE MAIS CONSCIENTE! UM FORTE ABÇ ADRIANA RANGEL - PETRÓPOLIS/R.J

Cadeirantes em Ação disse...

TA FALTANDO EDUCAÇÃO